A Misteriosa Chama da Rainha Loana

Yambo está com 60 anos, é um aficionado por livros e livreiro por profissão. Depois de um acidente, acorda no hospital e não se lembra de seu passado, a única memória que resta são histórias e personagens que leu nos livros. Recorda-se das aventuras de Dom Quixote, da vida de Charles Swan, de Em Busca do Tempo Perdido. Sabe das guerras, de Napoleão, de Tomás de Aquino, ou seja, lembra de tudo que leu nos livros. Tem agora uma memória de papel ou memórias ficcionais.

Acompanhamos Yambo numa busca ao passado, na tentativa de entrar na “caverna” da memória e conseguir recordar de seus próprios feitos. Nesse percurso nos divertimos com as memórias dos personagens ficcionais e com as confusões de Yambo entre ficção e vida real.  Como também nos angustiamos junto com ele ao não conseguir saber quem ele é, quem são as pessoas a sua volta, qual a relação que teve com elas, não conseguir identificar quais histórias fazem parte da sua vida.

Quando o personagem folheia o livro  de Santo Agostinho, “Confissões”, com páginas sublinhadas, sendo um sinal de que ele deve ter lido algum dia, Yambo cita trechos de reflexões de Agostinho sobre a memória: “Chego então aos campos e aos vastos palácios da memória, quando estou lá evoco todas as memórias que quero, algumas se apresentam de imediato, outras se fazem desejar mais longamente, sendo quase que arrancadas dos escaninhos mais secretos… Todas essas coisas a memória acolhe em sua vasta caverna, em suas sinuosidades secretas e inefáveis, no enorme palácio da minha memória recebo o céu, a terra e o mar juntos, lá me encontro a mim mesmo…”

O livro de Umberto Eco é uma reflexão sobre a memória individual e a memória coletiva, sobre o lembrar e o esquecer, e sobre os significados de nossas recordações.

Com o objetivo de entrar nessa caverna da memória, Yambo se aloja por algum tempo no sótão da casa do seu avô, aonde estão seus livros da infância e da juventude. Entra numa viagem de volta ao passado através dos personagens literários, das ilustrações dos livros e revistas que estão ali guardados há anos. Muitas dessas imagens são apresentadas para nós pelas ilustrações, que remetem às figuras que ele vai identificando durante suas leituras.

  • Resultado de imagem para sherlock holmes livros de 1950

Sherlock Holmes, personagem de Arthur Conan Doyle

A erudição de Umberto Eco e sua paixão pelos livros, com inúmeras citações de literatos, filósofos,  quadrinistas, entre tantos outros, contribui para que seja uma viagem para nós leitores, visitando livros, histórias e personagens e nos instigando à novas leituras.

 

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s