Prazer em escrever

Inácio de Loyola Brandão fez parte de minhas leituras da adolescência, adorei ler “Bebel que a cidade comeu”, “Não verás país nenhum” e “Zero”.

Resultado de imagem para bebel que a cidade comeu     Resultado de imagem para não verás país nenhum  Resultado de imagem para zero inácio de Loyola

Loyola começou como jornalista, foi crítico de cinema, trabalhou em várias revistas, é cronista hoje do jornal “O Estado de São Paulo” e escreveu diversos romances.

Quando jovem, morava em Araraquara e gostava de ir ao cinema, era apaixonado pelos filmes da Vera Cruz. Para poder ir ao cinema todos os dias, almejava ter uma credencial de crítico de cinema, fornecido por um jornal local. Foi conversar com o dono do jornal, começou a escrever críticas de filme e conquistou o lugar de crítico, obtendo sua credencial que lhe dava direito a ir ao cinema de graça quando quisesse.

Resultado de imagem para cinema vera cruz

Tornou-se cedo observador do cotidiano, dos personagens que o rodeava, da cidade (primeiro Araraquara e depois São Paulo), sempre anotando o que encontrava numa caderneta de bolso, que até hoje sempre carrega. Ele diz que ele não precisa criar histórias, elas vão ao seu encontro, seu mérito é sempre estar atento a elas.

Hoje já é paulistano, para ele São Paulo é uma cidade complicada, barulhenta, mas é uma cidade que tem poesia. É essa poesia que encontramos nas suas crônicas e nos seus 44 livros publicados.

 

 

 

 

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s